Criar Diário

Renault Megane Sport Tourer GT Line

pedro.casaca | | 0 Comentários | 1939 Visualizações

  • Marca
  • Modelo
    Megane Sport Tourer GT Line
  • Motor
    1.5 dCi
  • Cor
    Azul Malte
  • Potência (CV/NM)
    110cv
  • Utilização
    Diária
  • Quilómetros
    80.000
  • Data Matrícula
    03/2012
  • Consumos
  • Urbano
    5.2 l/100km
  • Extra-Urbano
    4.8 l/100km

Sobre o Carro

Boas.
Arranco aqui o meu diário de bordo da minha Megas. Antes da carrinha, tive um Megane berlina, também GT Line, e a experiência foi fantástica, por isso a escolha pela carrinha foi “óbvia”.
A diferença entre este e o anterior não é apenas o tipo de veículo. Na carrinha já tem a atualização do binário do motor, os leds diurnos, as bainhas laterais na cor da carroçaria e o interior com costura vermelha.
A atualização no motor foi a que mais me agradou. Sente-se de facto uma melhor performance do motor que permite consumos menores e melhor resposta em rotações mais baixas.

EQUIPAMENTO (apenas o mais relevante, o resto é base):
– GPS
– Sensores luz/chuva
– Sensores de estacionamento traseiro
– VisioSystem (faróis máximos automáticos e sensor de faixa de rodagem)
– Start/Stop
– Comando mãos-livres
– Entrada USB e AUX

O QUE ME AGRADA:
– O espaço interior é mais do que suficiente. À frente o espaço é idêntico ao berlina, pena apenas para o lugar do pendura, que para pernas mais compridas, como as minhas, obriga a puxar o banco mais para trás, prejudicando quem vai atrás. Mas como sou eu que conduzo sempre, para mim não é problema 😉
– Os consumos, apesar de os alegados pela marca dizerem sempre respeito às versões básicas, com equipamento de base e por isso mais leves, não estão muito maus para o tamanho e peso da carrinha. Já consegui registar depósitos com consumos de 4.6L/100Km, mas em circuito mais urbano, não foge muito dos 5.1 ou 5.2L/100. O que em comparação com outros “meganistas”, é um consumo bastante aceitável.
– O habitáculo, embora com muitos plásticos de fraca qualidade, apresenta-se muito confortável, amigável e com tudo à mão.
– Condução agradável e segura. Com a carrinha ainda não tive nenhuma situação em que o ESP tivesse de disparar, mas na berline tive umas 3 situações. 2 delas em lençóis de água e por isso o resultado não se assume tão perceptível (pois o impacto com a água não permite perceber qual o comportamento do carro que foi corrigido, se tiver sido). Mas numa outra, ao contornar uma rotunda enquanto caía granizo aos potes, o carro corrigiu a trajetória em direção ao passeio para uma trajetória perfeita.
– Os bancos mais desportivos desta versão GT Line dão um conforto superior, principalmente em curva, em que não temos de nos “agarrar com unhas e dentes” ao volante para mantermos a nossa posição no banco.

O QUE ME DESAGRADA:
– As jantes de 17” que vêm de origem (exceto nas versões desde 2014) não permitem um conforto elevado nesta carrinha. Tem muito melhor comportamento a suspensão na ST do que na berlina, mas devido ao perfil do pneu com a jante 17” deixa que o estado do piso se faça sentir um pouco mais do que o desejado no interior (e aqui reina muito a sensibilidade/exigência de cada um) e, também por isso, algum ruído.
– Como já referido noutros diários, a porta da bagageira tem 2 problemas: é muito pesada, e quando estamos carregado isso nota-se imenso; e em dias de chuva, ao abrir a mala, a água cai-nos em cima.
– As portas traseiras, devido ao seu desenho, são propensas a causar alguns “entalamentos”. Isto porque ao abrir a porta, é preciso algum cuidado ao manter a porta na posição fixa, pois facilmente ela própria se movimenta para fechar. Dado ser uma carrinha (e por isso mais propensa à utilização familiar), este comportamento é perigoso quando a usar por crianças.
– Apesar da melhoria do binário, em algumas situações a resposta do acelerador não é imediata e pode provocar algumas reações mais demoradas.
– Uma questão de usabilidade (ou User Interface): não gosto de ter de mexer em 3 sítios diferentes para afinar configurações do carro. Por exemplo: se quero alterar o volume dos sensores de estacionamento tenho de gerir pelo computador de bordo; se quero alterar definições do Bluetooth ou rádio tenho de gerir pelos botões do rádio; mas se quero configurações do GPS tenho de gerir no GPS. Entendo que para as configurações iniciais do carro desde o lançamento, fazer a alteração de modo a que todas as configurações pudessem ser geridas pelo GPS não seria fácil, desde o momento em que esse equipamento pode nem existir no veículo, mas fica a queixa.
– Embora nesta versão, o áudio traga a opção de evidenciar mais os graves, a verdade é que a acústica e a qualidade não são as melhores.

Aspectos Positivos

  • Segurança
  • Conforto

Aspectos Negativos

  • Áudio

Extras / Alterações

Motor

  • N/A

Audio

  • N/A

Interior

  • N/A

Exterior

  • N/A

Inicie sessão ou registe-se para comentar.